Elza Piacentini

Marque um horário para você, agora mesmo!

Elza Carolina
Coordenadora do Spaço Sollua

Elza Piacentini

Elza Piacentini

Elza Carolina sempre foi uma buscadora. Já na infância, freqüentando a Igreja Metodista, fazia tantas perguntas que deixava os adultos cansados ou constrangidos. Quando adolescente, foi buscar respostas nos livros de Filosofia e Psicologia, os quais raramente compreendia. Com 16 anos, vestia um avental branco e ia assistir as aulas de Psicossomática na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

Como não encontrava respostas para suas ansiedades, decidiu-se pelo “prático”: foi militar nos partidos de esquerda. Procurava também equilibrar sua angústia intelectual com a arte. Estudava Música e freqüentava a Faculdade de Ciências Sociais, História e Letras, Assim, concluiu os cursos de Educação Musical e Acordeom – no Instituto São Paulo – e Letras, na USP. Mas sentiu que procurando por meio do intelecto estava num “beco sem saída”. Seus neurônios não alcançavam suas indagações.

Enquanto isso, Elza teve quatro filhos, deu aulas de Música e Português, foi redatora, freqüentou aulas de expressão corporal e teatro… Enfim, procurou apaziguar-se

No final de 1972, teve então uma experiência que mudou seu rumo: foi convidada para beber a Oásca (ou Daime) e teve sua primeira experiência de consciência alterada. Percebeu então uma outra dimensão, a espiritual.

A busca foi reiniciada agora no sentido de conseguir a mesma percepção de uma forma mais natural. A primeira experiência nesse sentido foi com o trabalho de Gurdjieff. Depois, ao conhecer o Osho, as experiências vieram aos borbotões.

Após um período de vivência no Ashram do Mestre na Índia. Começou a trabalhar com os grupos de crescimento no Brasil. Dedicou-se a traduzir os livros de Rajneesh (Osho) e teve a experiência de viver em uma comunidade, juntamente com seus quatro filhos.

Com a saída da comunidade, começou a traduzir livros de outros mestres e foi justamente traduzindo um deles que decidiu-se por voltar a trabalhar com pessoas. Voltou, então, para São Paulo e fundou o Espaço Sollua.

Para fundamentar melhor os trabalhos, uma vez que os clientes agora não eram mais seguidores do Mestre, Elza voltou a estudar. Como autodidata, pesquisou a fundo as técnicas de Alexander Lowen (Bioenergética), Leonard Or (Renascimento), Janov (Grito Primal), entre outros.

Hoje em dia o Espaço Sollua tornou-se uma escola (no sentido Gurdjieffiano) de autoconhecimento, agregando novas técnicas e novos profissionais.

Elza Piacentini é responsável pela coordenação dos trabalhos de terapia transpessoal.

Palavra chave relacionada à este artigo: